13 agosto 2010

.
possível ouvir a própria voz

ressoar nova no espaço ou

como se pertencesse a outrem

não é é sua sou toda sua diz

pelo menos para os que nestes

anos todos desde as primeiras

palavras até a tentativa de

poesia na vigésima quinta hora

levada às penúltimas consequências

ouvem desatentos os livros não

publicados tornados públicos

antes púdicos pêlos púbicos

sem público exceto sua mama

onde está minha voz pergunto

a mim mesmo em silêncio possível
.

2 comentários:

Lilah Gondim disse...

Fui longe aqui, vi um papel com uma poesia escrita, jogado num canto,com tanta informação escrita que ele martela em sua cabeça aquilo que você já sabe, a sua poesia jogada num canto em total sigilo, uma poesia pós-moderna. "Quem vai se interessar? quem?" Atualmente, quem sabe realmente ler.

paulo da ponte disse...

Tua voz na minha voz. Na nossa voz. Os poetas completos Mário de Cesariny, Ana Cristina César, lançando contudo pontes sobre o oceano, como o Chico cantou "Tanto mar", língua mãe portuguesa do teu brasil.