13 março 2011

a)

mudei há 2 meses de cidade.
agora me, por algum sentido,
mudarei de mala e cuia para


b)

mandei uma carta
para mim mesmo.

a carta chegou ontem
provando que eu sou

eu

nada mudou exceto o fato de
que posso emprestar livros na

biblioteca

11 fevereiro 2011

carta 1

aqui me chamo josé geraldo
a dançarina & o seu menino
me chamam de geraldo o q
dá nome smo; sigo um ma-
pa desenhado numa folha de
caderno & ganho as ruas da
cidade que assumiu o meu
nome antigo; andando sem
destino (ou com vários dentro
de mim); os cantos de pound
& os cantos de maldoror por
alguma razão ou por nenhuma
caíram em minhas mãos &
agora canto sem cantar & sem
encantar ninguém & de alguma
forma encantado por tudo o
que sinto no exato momento
do desencanto
aprendi a andar de bicicleta
novamente & ganhei a corrida
dos automóveis sem apostá-la
apenas indo na direção do
vento morno no verão do sul; en-
tre cafés, bananas & um cigarro
esporádico; entre elisete, xenia,

mariama, gustavo, fabiano, janine
tento encontrar & me encontro
aqui agora com o velho safado na
mochila & um currículo para o
ingresso transitório na existência
sem medo de morrer num desses
cruzamentos fatais com a saudade
louca de voltar & a vontade essencial
de seguir por estes caminhos que se 

fazem reais à medida em que acordo

06 fevereiro 2011

morango com lima
quer dizer algo


a cor 


a palavra


a cor da palavra?


ou outra coisa & todas 
essas coisas dispersas
entre nossos corpos nus


sobre a pedra fria
na noite quente do


meu último verão


adolescente


preciso envelhecer?


preciso precisar?


preciso?


seleciono frequências
no interior da noite 
escura, interminável


pessoas coloridas
dentro de um cézanne


marijuana 
flutuante


o seu perfume
atravessa meu 
único sentido


tenha cuidado baby
se quiser me salvar
pois sonho a urutu


seja pelo intelecto
seja pelo instinto


importante 
é sabermos


os caminhos da fuga &
dos beijos ardentes fora
dos domínios do tempo
& dos espaços controlados


importante é ter
fôlego para escalar


montanhas estelares
não sei p q disse


& sei


"preciso ser mais 
macunaímico nas 
próximas chances
ou adeuses"


perdi o bob 
dylan no bar


& tudo o que
diziam valer


3 cervejas & uma pinga


você beijou doce


& me tirou de mim


enquanto eu pedi apenas
que apertasse o gatilho


carreira solo: 
um tiro apenas


eu nunca quis me matar
apesar de já ter morrido


barbear o pulso esquerdo
não me fez um suicida ou
um coitado na manhã seguinte


talvez e muito mais um verme
em quem nietzsche teria cuspido


sem piedade


agora tudo mudou
definitivamente


- "os animais são ex-humanos, 
e não os humanos ex-animais" - 


nada pode ser assustador
quando se está com alguém 


na escuridão


nem mesmo a espaçonave 
com luzes bruxuleantes
que me abduziu para
dentro de seu estômago


nada é tão assustador
enquanto eu continuar
fantasma de mim mesmo

04 fevereiro 2011

novela

vc deve ter
pensado q

até hoje

não arrumei
o quarto

&

acertou

a bagunça
+
chacrinha
+
mamãe &

malu
"duda"
mader

x

elvis presley
olivia newton john
lennon jane fonda
ringo star

com

nuno
leal
maia

como um ex-hippie e seu brother yuppie
dando o toque maniqueísta para a trama

elevada à

didi
dedé

zaca
rias

mus
sum

foram e de certa
forma são minha

sina

(dividida por)

xuxa: a primeira garota que beijei
& a tela da televisão há 25 anos

(menos)

lágrimas juvenis ao som
de stairway to heaven ...

& punhetinhas de verão cascavelletianas

" Bom bom bom
faz o meu coração"

& visões top model tipo
lucas taumaturgo ferreira
o ator que segundo
o telejornal fake
dentro da novela
havia participado do
assassinato de um
empresário em sampa
e fugido para o rio

no meio da história
surge paulo otávio

vulgo grilo

(como resultado)

a culpa foi transferida
toda para ele

claro?

por fim

o sonho de elvis presley
era surfar em saquarema
mas tininha ficou grávida
& a coisa se complicou

pobre rima apaixonado em pleno século XXI

rimador pobre
poeta desastrado

ela diz:
- tchau, zé ...

tu respondes:
- desculpa,

pisei
no seu pé

satyricon


você tem medo do minotauro
de ficar perdido no labirinto

de federico fellini

de que o presságio de saída

seja a morte sendo sol e,
no fim, nem morte nem sol

mas encenação

que se desdobra
em realidade &

clama por poesia

Sana

através

de você chego a
rose marie muraro

o chá da tarde
queima minha língua

apressada

03 fevereiro 2011

rapaz adversativo

vi

toda via
via toda
todavia
não me

via

02 fevereiro 2011

ronrom

o gato ronrona
no colo de a-
manda

- parece que há
um  motor na
traqueia, falo

"é felicidade",
responde rindo
& sol-

ta-o no chão;
"volto outro
dia para levá-

lo de vez ..."
felina parte
noite afora

- é isso o que
faz sempre ela
nessas horas

31 janeiro 2011

quadro um

a morte numa margem
& eu do outro lado à
margem de mim mesmo;

no meio um rio veloz

sobre rios, mares, ribeirões e cachoeiras


proponho à humanidade
a volta ao útero da mãe



natureza


28 janeiro 2011

tu éter


"uccise la famiglia e andò al cinema"

disse para todo planeta virtual
que não falaria com  ninguém

propriedade
privada
pública
:
o pé de
limão pulou
o muro

viajem  no trem
da velha estação

você não estava na festa
tive tempo de ver a lua
cheia aparecer

sumir entre um
natus nobiles
barato & +1

agora me
sinto -1

________piercing
em seu umbigo à

perdi a conta
de mim mesmo

salvei ocê
no drive C

;& kiss
compartilhar

algo
real

contigo
em meio

meu mel

descolo

já+jamais=já
mais jamais?

debaixo do
teu tênis

dentro da bolsa

na cicatriz

planos frustrados em processo
sonos febris de verão

tremo
motor

o

fusca desce
na banguela

a rua escura

99% de ..
. %20-%20

download

quase concluído

24 janeiro 2011

verde

hj acordei &
senti-me ver-


de


contudo
sabia q
assim q
olhasse


no espelho eu
não + estaria


como não es-
tava assim q


o fiz

23 janeiro 2011

cheguei
quando 
tudo &
todos  já 
haviam se 
dissi-
pado
menos a 
vontade 
insaciável
de achar
emoções sob as
sombras frescas 
da noite.  a lua 
cheia acima do
mercado treme-
luzia envolta por
estrelas 
mornas 
mortas
deste lado 
destilado 
destinado 
ao canto 
do pássaro
insone
apagar A
descrição
/ apagar
tudo d 1
vez? 
vi 
no céu o
plano 
dylan:
noite +
bonita &
solitária
de verão

22 janeiro 2011

sensação

de cansaço
de ter andado


em quadrados
, de palhaço


desgraçado
, de tristeza;


a vida tem q ser
+ do q 1 volta


no quarteirão
de tua casa ou


na cor-
da bamba

21 janeiro 2011

MAD (sina)

jamais construam
qualquer coisa nas
montanhas lindas
de matas virgens!


reconstruam os
ciúmes da morte


em vinho -vida


jamais beijem
estas mão frias


- estendidas ao
vazio da noite -


das moças finas
em pleno verão


ou entrem em
igrejas à tarde


para fugir das
chamas do sol

19 janeiro 2011

bom dia

empresto
-lhe meu
sono saio
às ruas
a sonhar

17 janeiro 2011

desfoque

desperta-a.
madrugada
pensa
algo para.
escrever q
esquecerá
ao acordar
no
máxi-
mo
lem-
brar
-se-a
.havia
toda
pensado
algas
no meio
do sono
p
escre-
vê-las
assim q
acordas-
se
tivesse
memória
energia p
lembrar


"não tenho força para lembrar,
para esquecer me tem sobrado"


depois
sonha
computador
ligado num 
sistema
de som
tocando
di melo
emílio
santiago
tim maia
na frente
da igreja
(corta!)
centenas de
pessoas 
focadas
(olhares
cansados
& escuros)
no escritório
da indústria
de bens de
consumo
não duráveis
.

12 janeiro 2011

retrato falado

tem olhos
a imagem

sou meu
próprio

especta-

dor

o olho

imagem

Não
há fundo
quando

o reflexo me

olha

A imagem tem olhos
não vê senão o que
imagino o que veja

olhos ima-
ginam ima-

gens

O olho da
imagem vê
o olho nú

: passagens

11 janeiro 2011

urubu

a caveira
+ bonita
o corpo
decomposto
a ossada
na vala
coletiva
massacre
no eldorado
dos carajás,
no carandirú
no centro
financeiro
da capital
chacina na
candelária
a arcada
dentária
execuções
sumárias
mílicias
eletrochoques
nos porões
dopados da
tortura
institucional
o pau
de arara
o homem
carbonizado
herzog
o suicidado
pelo regime
militar


a fome, a fome, a fome
o lixo, o lixo, o lixo, os
carros, os carros, e os
corpos, corpos, corpos
e os porcos, porcos e os
sistemas político-eco-
nômicos, nomes, nomes


levados pelas enchentes

10 janeiro 2011

garopa

voltar tinha um preço 
mais alto do que tudo 
o que já havia juntado
maior do que havia tido
& do que conseguiria
dali para a eternidade 
justamente porque se
recusava à repetição 
maquinal da existência
estruturada no acúmulo
de papéis, assinaturas
, amores &  diplomas
demitiu-se de si mesmo
; agora cristo despregado
pode sonhar de graça
embora a carteira vazia 
sinta por vezes fome d
fruto podre do acúmulo
fedorento & ilusório das
propagandas. resta só.
identidade sem fotografia

08 janeiro 2011

baco

Bacchus, Michelangelo Merisi da Caravaggio

AI-6

"cala-boca"
diz com a
boca torta
julgas ter
moral p/ 
censurar?
não importa!
não sabe
ela mesma
se calar
a hiena
espera/ansiosa
a carniça
o poetexburguês
- cronista social
sem imaginação -
mira seus sapatos
querem
encher
-te de
culpas
ar-
rancar
o q
tens de
natural
ex-
tirpar
vc 
de 
vc
es-
peram-na
es-
tereótipo
; não
encontram
nada q os 
reflita
além do
espelho
"cala
a boca"
escuto-lhes 
dizerem en-
quanto vc 
fala com o 
vira-latas
confundem tua
inocência com
"falta de cultura"
pura tú 
és pura
cochicham
inocentes
crianças
com sono
& cigarros
no vão dos
dedos 
duros
vão para
casa antes
de dionísio
chegar
da chuva 
& do sol
"30 anos
esta noite"
querem-me bem
culpado; amar
- gurado; vi-
vo ou suicida
amanheceu
as dores
no corpo
são danças
liberdade: 
ins-
tantes 
transi-
tórios
ilusão de
passagem
destino
incerto
é certo
o criminoso
volta ao lo-
cal do crime
a noite passada
está morta & não
foi você quem 
a matou; foi eu.
a culpa é toda 
minha. desculpa

07 janeiro 2011

inconfidências

.
bh















capivaras na pampulha
quatis nas mangabeiras

















peri, jujo, pará















gritos nas ruas



































jah
....cannabis
....na
sacada &
...........james
brown
no quarteirão
..........do soul

couve, tutu
arroz & uma
cerva gelada



















cachaça, café
doce de leite,
cigarro de paia;

sonhos de mudança
num quarto de hotel















quem
sabe
feliz
2011















& um ônibus para ouro preto



















independência do brasil
do brasil & proclamação
de repúblicas estudantis

tiradentes existiu?

oh! marília de dirceu!



















oh! musa do museu!



















pif paf

vampeta
deidedo
carcaça

retratos
& tudo
o q/ não

pode ser
foto/
grafado

contrastes de
ruas barrocas
& automóveis
.........................futuristas















a luz da tarde infiltrada no quarto úmido















peri me ensina
o kapalabhati

o corpo
acalma

a mente



















a chuva cai gélida
sobre a noite preta















para amanhecer
traços guignard
& formas amilcar






















***

30 anos
amanhã